Imerys, Transform to perform

Sustentabilidade

Área de publicações.

  


Inclusão Digital

 

Aprendizado digital que gera mudanças reais

 

Até pouco tempo atrás, a relação do autônomo Benedito Rodrigues Fernandes com o computador era limitada. Utilizar o equipamento era fácil – já que ele dispunha de um em casa, conectado à internet – mas exigia dele um esforço que passava despercebido para a maioria das pessoas. Faltava autonomia. Isso porque para quase todas as atividades junto ao computador ele dependia do apoio dos filhos. A história começou a mudar há três meses, quando Benedito, morador de Barcarena, ingressou na turma de Informática Básica do Programa de Inclusão Digital, realizado pela Imerys.

 

Com o aprendizado adquirido em sala de aula, Benedito, de 45 anos, pode, de fato usufruir, os benefícios de ter um computador ao seu alcance. Hoje se sente mais confiante, motivado e preparado para novos desafios, inclusive os profissionais. Tem novos objetivos de vida e, mais importante, conquistou independência em atividades simples, como acessar a internet. “Toda vez que você pede ajuda a alguém é um pouco constrangedor, mas quando você domina alguma coisa, a sensação é de autonomia”, resume.

 

A história de conquistas pessoais de Benedito se soma a muitas outras possibilitadas pelo Programa de Inclusão Digital. Desde que foi implantada, a iniciativa já ajudou na formação de pequenos empresários, apoiou várias pessoas na obtenção de um emprego e ampliou o horizonte de quem busca conhecimento. Com turmas nos municípios de Barcarena e Ipixuna do Pará, cidades nas quais a Imerys está presente, as aulas são oferecidas em espaços equipados pela empresa com computadores adequados, de forma gratuita, atendendo um público que, sem essa opção, teria poucas oportunidades de fazer um curso semelhante.

 

Em Barcarena, as aulas são realizadas na Casa Imerys, projeto social da mineradora instalado em Vila do Conde, com oferta de cursos de informática nos níveis básico e intermediário para moradores da comunidade a partir de 12. anos. O programa teve início em 2012 e oferece quatro turmas em atividades ao mesmo tempo, cada uma com 24 alunos, qualificando, em média, 200 pessoas a cada ano. O curso é voltado para o uso técnico do computador com foco especial para a utilização dele como ferramenta de trabalho, mas não se restringe a isso.

 

O conteúdo prepara os participantes para o mercado de trabalho desenvolvendo competências que vão apoiá-los na conquista de um emprego. O curso tem atividades de orientação de temas como comportamento em uma entrevista de emprego e formatação adequada do currículo. Dessa forma, o Programa de Inclusão Digital mantém-se alinhado ao objetivo da Casa Imerys de formação de profissionais. “O foco das atividades é a sustentabilidade das comunidades e a informática é essencial para a inserção no mercado de trabalho. A formação que a Casa passa é para que o indivíduo consiga se desenvolver”, define a analista Nayara Santos, da Imerys.

 

E foi para aumentar as chances de conseguir um emprego que o estudante Antônio Brandão Brito ingressou no programa. Aos 20 anos e cursando o último ano do ensino médio ele está se preparando para conseguir o primeiro registro profissional na carteira de trabalho. O jovem já fez cursos de Gestão e de técnico em Almoxarifado e sabe que o aprendizado em informática é essencial para a prática de qualquer atividade. “Hoje em dia você não vê mais um almoxarife preenchendo papel. Ele faz tudo no computador”, observa.

 

O perfil de Antônio representa o da maioria dos participantes atendidos em Vila do Conde. Segundo o professor de informática do programa, Danilo Silva dos Santos, cerca de 70% dos alunos são jovens e somente 15% têm uma ocupação. O que é comum a todos, diz o orientador, é o interesse pelo aprendizado com objetivo de crescer pessoal e profissionalmente. “As dificuldades locais são grandes, mas a gente vê que todos têm muito interesse em aprender e se capacitar. O objetivo deles (alunos) é ingressar no mercado de trabalho e o curso oferecido aqui é uma grande oportunidade”, pontua o professor.

 

Em Ipixuna do Pará, informática se aprende na sala de aula

 

Santa Maria do Bacuri é uma comunidade como muitas outras na Amazônia. Localizada na zona rural do município de Ipixuna do Pará, nordeste do estado, o acesso ao local é difícil e a comunicação – por telefone ou internet – é quase inexistente. Esse isolamento prejudica a população de diversas maneiras, inclusive com a falta de acesso a um computador. Isso passa a ser diferente esse ano com a chegada à comunidade do Programa de Inclusão Digital da Imerys.

 

Em Ipixuna, o programa amplia o trabalho de educação digital realizado com sucesso pela mineradora em Barcarena, mas chega com um grande diferencial: passa a ser a primeira oportunidade local de ensino regular de informática para os moradores de Santa Maria do Bacuri. Até então, quem buscava esse aprendizado precisava se deslocar para a sede do município, o que normalmente exigia uma mudança de endereço.

 

O formato de ensino do programa também chega adaptado para Santa Maria do Bacuri. O curso é aplicado na escola municipal da comunidade e faz parte da grade curricular da unidade de ensino, alcançando cerca de 220 alunos da 5ª a 8ª séries. Um professor dedicado, contratado pela Imerys, orienta as turmas nas aulas de informática básica e intermediária ao longo do ano letivo. E o projeto deve ser ampliado em breve com uma turma de curso intensivo de informática básica para adultos durante o período das férias escolares, atendendo demanda identificada entre os moradores da comunidade.

Voltar ao topo
X

Nos envie uma mensagem